terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Receita pessoal de simplicidade e equilíbrio

Permitir-me. Dizer sim as minhas vontades, as minhas prioridades, aos meus amores, aos meus anseios, aos meus sonhos. Ponderar quando necessário, claro, até porque seria impossível livrar-me dessa característica libriana. Mas não fazer disso um empecilho para a felicidade, afinal, não é "não vivendo" que eu vou garantir algum êxito. Posso viver uma vida evitando fracassos, mas pagarei o preço de nunca poder triunfar. Correr riscos, mas assumir responsabilidades. Tentar ser a mais coerente possível com o meu interior. Fazer da Verdade uma demonstração de apreço e não uma arma afiada prestes a machucar alguém. Saborear o espetáculo e se distrair quando o ator esquecer a fala. Dar mais descontos. Levar a vida a sério sem ser séria por isso, mantendo o bom humor. Não deixar que as pessoas me coloquem em um altar, porque a cruz pode ser muito pesada. Não endeusar ninguém, nem deixar que façam isso comigo. Ser apenas uma pobre mortal, rica de muita vontade de viver.

11 comentários:

Anônimo disse...

Juro que essa é a receita mais dificil que eu já li na minha vida!
O lance é o seguinte, fluir.
Quanto mais a gente se cobra por ser assim e não ser assado, menos a gente faz qualquer coisa.
O problema é que esse é o lance mais dificil de fazer e aí que tá, deixar de complicar.
Não é porque o mundo inteiro corre, o tempo corre, o sistema cobra, as pessoas correm, as noticias.. enfim, a vida corre, que a gente tem que correr também. ;D
eu desisti de correr no tempo que o resto do mundo corre, hoje em dia eu caminho, no meu tempo. e foi aí q eu aprendi a me respeitar, no minimo, respeitar os meus desejos e anseios. ;D

Jana disse...

Talvez eu, uma tipica ariana, esteja numa fase meio libriana de ponderação. Deixando meio de lado essa coisa impulsiva de fazer e ver no que dá. Não sei onde aprendi isso, se é que aprendi, ou estou em uma tentativa que ainda não sei o resultado. Só sei que esta me fazendo bem...

Obrigada pelo comentário.

Beijos

Anônimo disse...

Raisa ;P
A terapia é a coisa mais dificil do mundo, sério. Entrar em contato com a sua personalidade assim é dificil. Ter q admitir a responsabilidade e todas essas coisas.. Mas é incrivel como eu acho q voltei a minha espontaneidade depois que voltei pra terapia. ;~)
E não corre não, que você perde o melhor.. A angústia, a ansiedade. Todas as dúvidas e deixa passar um monte de possibilidade. Eu ando devagar, e vivo me lascando. Mas nesse "me lascar" é onde eu mais aprendo. ;P

Marcos disse...

É uma boa receita. E digo mais: Finjo seguir alguns dos ingredientes.

Sobre o meu texto lá no blog: As partes entre os asteriscos são só parte de um pseudo-projeto de livro. ^^
O monólogo nem quis colocar.

Pedro disse...

Com o tempo a gente vai aprendendo que os fracassos fazem parte do triunfo.

talita disse...

"nossos sonhos são os mesmos há muito tempo
mas não há mais muito tempo pra sonhar" - HG.

eu te vi no blog da Morena Flor.
e eu gostei do teu blog. :)

Cin disse...

Eu como uma típica libriana também, li, ponderei e adorei.
Acho que também poderia se chamar receita da felicidade.
Bjos e lindo dia!

Pedro Willmersdorf disse...

eu, como sagitariano, afirmo que arriscar é sempre a melhor receita.

;)

Ana D disse...

To experimentando várias receitas, misturando ingredientes tais como anseios, expectativas, desejos, sonhos, realidade, enfim, misturando...Gostei por demais do teu texto...Identificação de balanças zoodiacais...rs.
Outras considerações: Achei teu perfil muito original e poético. Vc tem um dom de escritora, ainda jovem, com ceeteza suas palavras florecerão ainda mais a medida que transcorra pela vida.rs.Muito bom !

tHomaz disse...

pra uma receita, tá muito complexo. eu não a seguiria. procuraria uma de bolo de chocolate que é mais fácil e o sabor é garantido!

Leonardo disse...

O único problema é jogar tudo isso no liquidificador e sair uma mistura agradável. Mas não custa nada tentar.