quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Os se's da nossa vida

Gustavo era o tipo de cara que qualquer mulher inteligente tenta evitar quando procura um namorado. A cara de santo, o corpo do pecado, mulherengo, engraçado e o pior, cheio de lábia. Isso mesmo, lábia. Aquela conversa no pé-de-ouvido com a voz branda - e nem por isso menos grossa - que faz as tuas pernas vacilarem por um instante de tão bambas e te faz esquecer daquele conselho sábio que o papai ensinou sobre não cair na conversa de qualquer malandro.


Ele tinha acabado de terminar o namoro com a melhor amiga da irmã dela. Ela escutava casos de amor nas horas vagas e prometia a si mesmo que não repetiria o erro das amigas. Era do tipo que ia sozinha ao cinema, rachava a conta nos encontros, pegava praia nos finais de semana e dava satisfações apenas pros coroas.


Júlia seria mais um troféu se Gustavo não tivesse se apaixonado pela sua espontaneidade. E essa teria sido uma bonita história de amor se Júlia fosse surda ou não tivesse horas vagas.

9 comentários:

Cin disse...

Eu odeio o "teria sido" mas ele é tão constante na vida de todo mundo...

Bjinhos!

Thomaz disse...

ta treinando pra escrever um roteiro de malhação 11 ano?
se for, eu mudaria o final :x

Marcos disse...

Eu coleciono se's como souveniers. Adoro esse tipo de texto. E nem tirei férias. ^^

taliiita disse...

Nada me impede de buscar meus amigos, tanto é que o fiz. Dois dos 3 que eu estou com muiiiita saudade se manisfestaram, mas ainda ta faltando um, portanto ainda continuo com saudade!
E quanto ao esqueleto do meu blog, eu sou sim muito fã de engenheiros, adoro demais e muito do meu jeito de viver vem de idéias construidas ouvindo as boas letras do HG.
E quanto ao teu texto, eu gostei bastante, como tenho gostado de todos e como muito possivelmente irá gostar dos que virão!

Pedro disse...

Ninguém é dono do destino. (clichê, eu sei, mas foi a primeira coisa que me veio a cabeça!).

Felipe disse...

"o mundo sempre dá voltas"
vc nunca prestou atenção de como isso é verdade?

Anônimo disse...

Hum... se Júlia fingisse de surda e de cega. ;P

thiago dantas disse...

É por isso que eu gosto mais das pessoas insensatas. Elas sabem que possibilidades podem ser reais.



Tão lindo o texto. E tão cruel. Eu gosto TANTO de você! [não tente entender a última frase, Elenita. e não se assuste, eu sei que não te conheço, mas um dia te explico x) ]

as peças que encenamos e aquelas que nos encerram disse...

muito bem suposto senhorita.

re-viver boas e pequenas sensações é minha busca eterna, e colocá-las em palavras é meu desafio.
afinal as pequenas e boas notícias não saem nos jornais.


adoro finais não felizes.
:P


beijo.

ana.